24.Itararé-v1-cap02-m24

24. Itararé (1930), embolada. Autor e intérprete: Jararaca • Gravadora: Columbia


Quando vim de minha terra

Vim brigado com a muié

Invêis di vim a cavalo

Eu vim mesmo de a pé

Sou filho do Rio Grande

Da cidade de Bagé

Fiz uma marcha forçada

Vim parar em Itararé

Itararé, Itararé

Tava tudo em pé no fogo

Churrasco, mate, café

Espingarda, carabina

Revólver, laço e quicé

Metralhadora e facão

Adaga, espada e combréa

Areoplano e granada.

Carro forte, Chevrolet

Cavalaria e trincheira

Tudo tinha em Itararé

Itararé, Itararé ...

Tudo ali se reunia

General e coroné

Cabo, sargento e sordado

Véio, criança e muié

A gente andava deitado

E dormia mesmo em pé.

Tinha cobra na picada

Mas chegamos em Itararé

Itararé, Itararé...

General Juarez Távora

Montado num corcé

Dominando todo o Norte

Provou que do Norte é

De Sergipe ao Amazonas

Os chefes bateram o pé

Quando ia pra Bahia

Nós ia pra Itararé

Itararé, Itararé...

Viva todos os nossos chefes

Homens de ação e fé

Que nunca temeram a morte

Dizendo dê prá onde dé

Vamos tomar o Catete

Porque o povo requer

Agora vocês me diga

Se é assim mesmo ou não é.