Post

5. Minas, São Paulo-v1-cap02-m05

5. Minas, São Paulo (1929), humor. Autor: Luiz Peixoto • Intérpretes: Jararaca e Pinto Filho • Gravadora: Parlophon


Jararaca (fala) — Viva o nosso presidente do Clube Recreativo 15 de Novembro! — Viva! Washington Luís (fala) — Eu agradeço penhorado a manifestação que vós acabeis de me fazer. Meus senhores, minhas senhoras, senhoritas e petits enfants. A Comissão composta dum só membro, que é eu, arresorveu escolher dentro das misse mais cotada e mais decotada aqui presente, que ambiciona o arto título de Miss Catete, mademoiselle Júlio Prestes, fazendo votos pra que ela preste os seus serviços à pátria como eu e não se preste a fazer empréstimo que não preste. (Ehhh!) Paulista da minha terra, Que segue as minhas pegada, Abrindo e fechando estrada Nas margem do Tieté, Eu só queria saber Proquê é que o povo diz Que só vai dar Júio Prestes despois de Óshington Luis.Vou demonstrar pros mineiro Que nós é bem brasileiro. São Paulo nunca se esconde, Paulista não compra bonde, São Paulo é que dá café. São Paulo não baixa as cristas, Eu falo como paulista, Paulista véio de guerra, Paulista da nossa terra, Paulista de Macaé. (Ehhh!!!) Antônio Carlos (fala) — Seu Estradanha, tudo isso que você disse aí é mentira: mineiro compra bonde, mas vende os reboque aos paulista. Mineiro de Barbacena, Da terra do leite grosso, Que planta milho em caroço Pras formiguinha comer, Que conta as suas potoca Sentado junto à engenhoca, Enquanto houver mandioca Mó de a bichinha moer. Eu só queria era só Mineiro que não entrosa Poder provar presses prosa Que o queijo inda não bichou. Preles não rir dos mineiro, Que também é brasileiro, Antônio Carlos em campanha da Aliança Liberal.