51.Governadô-v1-cap02-m51

51. Governadô (1932), embolada. Autor: João Dória Correia • Intérpretes: Turma do Bonfim • Gravadora: Victor


Governadô, governadô, governadô

Não há mais só um tenente

Que não seja interventô

Governadô, governadô, governadô

Do Amazonas ao Rio Grande

A turma é toda do amor

Os meus tenentes disciplinado nos quartis

Não se deixam embromar com zum-zum-zum nem be-re-ré

E a prova disso vi o Norte como está

É só saldo orçamentário pra nunca mais acabar

Governadô ...

Veja o dotô da Cunha que é tenente bom serví Até o capitão Rogério, tudo com eles é ´´ali´´ Não há mardade, nem intriga, nem inveja É tudo trabáio sério prá grandeza do Brasí

Governadô ...

Fui revortoso por ser filho de gaúcho Ter nascido na Bahia, por amor do meu amor A um cabocla que tinha sangue no olho Comia pirão sem moio com farofa de bambá

Governadô ...

Nas coxilhas lá do Norte, na terra do Ceará, é só bicho balanceiro inté seu Mané chegá móde a mandinga dos tenente interventô que despacháro com azeite os outro governadô

Governadô ...

Lá prá meu Norte, na minha terra Bahia, Nunca vi tanto parpite como as carioca dá São bonitinha, tão lindinha, diabinha Té parece demoinha que nasceu só prá atentá

Governadô ...