7. É sopa (17 a 3)-v1-cap02-m07

7. É sopa (17 a 3), (1929), marcha. Autor: Eduardo Souto • Intérprete: Francisco Alves • Gravadora: Odeon

Vai começar o grande jogo para a conquista da taça oferecida pelo Catete Futebol Clube (gritos) Combinado B: “captain” Seu Tonico (gritos) Combinado A: “captain” Seu Julinho (gritos) Juiz: doutor Macaé, muito digno presidente do Catete Futebol Clube

Seu Tonico sem razão. Ao juiz desatendeu, E foi tal sua afobação, Que a cabeça até perdeu.

O juiz, que é da barbada, Seu Tonico pôs pra fora. E gritou pra rapaziada: Toca o bonde, tá na hora!

Pra vencer o combinado brasileiro. Diz Getulinho: “É sopa, é sopa, é sopa”. Paraibano com gaúcho e com mineiro. Diz o Julinho: “É sopa, é sopa, é sopa”.

Foi pro gol o seu Tomé, Bonde errado e sem coragem.

A torcida não fez fé. Houve então bruta lavagem. Pra jogar bem futebol Só paulista ou carioca. Chova muito ou faça sol, É no pau da tapioca.

Pra vencer o combinado brasileiro Diz Getulinho: “É sopa, é sopa, é sopa”. Paraibano com gaúcho e com mineiro, Diz o Julinho: “É sopa, é sopa, é sopa”.