Minas e São Paulo-v1-cap02-m05

5. “Minas e São Paulo” (1929), humor.

Autores: Jararaca e Pinto Filho. Intérprete: Jararaca. Gravadora: Parlophon.

JARARACA (fala) – “Viva o nosso presidente do Clube Recreativo 15 de Novembro!

- Viva!!!

WASHINGTON LUÍS (fala) – Eu agradeço penhorado a manifestação que vós acabeis de me fazer. Meus senhores, minhas senhoras, senhoritas e petits infants. A Comissão composta dum só membro, que é eu, arresorveu escolher dentro das misse mais cotada e mais decotada aqui presente, que ambiciona o arto título de Miss Catete, mademoiselle Júlio Prestes, fazendo votos pra que ela preste os seus serviços à Pátria como eu e não se preste a fazer emprésmo que não preste. (Ehhh!!!)

Paulista da minha terra,

Que segue as minhas pegada,

Abrindo e fechando estrada

Nas margem do Tieté,

Eu só queria saber

Proquê é que o povo diz

Que só vai dar Júio Prestes

despois de Óshington Luis.

Vou demonstrar pros mineiro

Que nós é bem brasileiro.

São Paulo nunca se esconde,

Paulista não compra bonde,

São Paulo é que dá café.

São Paulo não baixa as cristas,

Eu falo como paulista,

Paulista véio de guerra,

Paulista da nossa terra,

Paulista de Macaé. (Ehhh!!!)

ANTONIO CARLOS (fala) - Seu Estradanha, tudo isso que você disse aí é mentira: mineiro compra bonde, mas vende os reboque aos paulista.

Mineiro de Barbacena,

Da terra do leite grosso,

Que planta milho em caroço

Pras formiguinha comer,

Que conta as suas potoca

Sentado junto à engenhoca,

Enquanto houver mandioca

Móde a bichinha moer.

Eu só queria era só

Mineiro que não entrosa

Poder provar presses prosa

Que o queijo inda não bichou.

Preles não rir dos mineiro,

Que também é brasileiro,

E dos paulista a dinheiro

Um bonde errado comprou.

Comprou, ninguém não esconde,

Não sabe como nem onde

O desgraçado do bonde,

Pra rir do leite o café.

Mas o mineiro ainda pode

Chumbar alguém com bodoque

Quem te vendeu o reboque,

paulista de Macaé. (Ehh!!!)

WASHINGTON LUÍS (canta)

Eu vou me embora,

Vocês tudo eu vou deixar

Me deixem então te agarrar,

Me deixem então te agarrar

(ANTONIO CARLOS)

Em Mato Grosso

Si tu qué te dou lugar

Tu qué mais é me brefar,

tu qué mais é me brefar

(WASHINGTON LUÍS)

Tem paciência

Meu irmão eu não te engano:

Si tu quer vai pro Senado

Isperar mais quatro ano

(ANTONIO CARLOS)

Volto pra Mina,

Eu não quero é mais nada

Eu vou já é ricuier-me

Á minha vida privada.

(WASHINGTON LUÍS)

Mineiro,

vamo deixar de intimidade

Entre nós já nada existe,

Nem o amor nem a saudade.