11.Trem blindado-v1-cap3-m11

11. “Trem blindado” (1933), marcha.

Autor: João de Barro. Intérprete: Almirante. Gravadora: Victor.

Meu bem, pra me livrar da matraca Da língua de uma sogra infernal, Eu comprei um trem blindado Pra poder sair no carnaval.

Mulata por seu encanto, Muito eu levei na cabeça Porém agora eu duvido Que isso outra vez aconteça

Do teu falado feitiço Pouco caso hoje eu faço Mandei fazer em São Paulo, mulata, Um capacete de aço

Meu bem, pra me livrar da matraca Da língua de uma sogra infernal, Eu comprei um trem blindado Pra poder sair no carnaval.

Mulata, quando eu te vi, Logo pedi anistia Pois os seus olhos lançavam Terrível fuzilaria

E pra ninguém aderir Ao nosso acordo amoroso Botei na porta de casa, mulata, Um canhão misterioso.