34.Hino a João Pessoa-v1-cap02-m34

34. Hino a João Pessoa (1930), hino. Autores: Eduardo Souto e Osvaldo Santiago • Intérprete: Francisco Alves • Gravadora: Odeon


Lá do Norte, um herói altaneiro, Que da pátria o amor conquistou, Foi um vivo farol que ligeiro Acendeu e depois se apagou.

João Pessoa, João Pessoa, Bravo filho do sertão! Toda a pátria espera um dia A sua ressurreição.

João Pessoa, João Pessoa, O seu vulto varonil Vive ainda, vive ainda No coração do Brasil.

Como um cedro que tomba na mata, Sob o raio que em cheio o feriu, Assim ele ante a fúria insensata De um feroz inimigo caiu.

João Pessoa, João Pessoa, Bravo filho do sertão! Toda a pátria espera um dia A sua ressurreição.

João Pessoa, João Pessoa, O seu vulto varonil Vive ainda, vive ainda No coração do Brasil.

Paraíba, ó rincão pequenino, Como grande esse homem se fez! Hoje em ti cabe todo o destino, Todo o orgulho da nossa altivez.