37.P da vida-v3-cap.-09-m37

37. “P da vida” (1987).

Autores: Lucio Dalla / versão de Edgard Barbosa Poças. Intérprete: Dominó. Gravadora: Epic/CBS. LP: Dominó.

Tô p da vida

Tô vendo a gente tão pra baixo

Um baixo astral, um cambalacho

E muito pouco amor a vida

Tô p da vida

E o mundo em volta da ferida

Em transes loucos, transas nossas

De mãos atadas, vistas grossas

É muito pouco amor a vida

Tô p da vida

Tão pondo fogo no planeta

E quem não tá vira careta-tá-tá

A fina a flor do preconceito

De cor de raça de sujeito

Isso tem jeito

Isso tem jeito

We are the world lá nas paradas

E gerações desperdiçadas

Em tantas lutas sem sentido

Feche as cortinas do passado

Mundo grilado, dolorido e que se conforma

Tô p da vida

Lances, jogadas ensaiadas

Nas mesas das Nações Unidas

Azucrinando nossas vidas

Jogo de dados combinados

Dados marcados

Tô p da Vida

Mas não me sinto derrotado

Não tem gatilho, nem cruzado

Que vai me pôr nocauteado

A esperança é uma música

Canta essa música, nossa música, é nossa música

Tô p da vida

Tô vendo a gente tão pra baixo

Um baixo astral, um cambalacho

E muito pouco amor à vida

Tô p da vida

Mas isso quase não é nada

Tem que enfrentar essa parada

E tem que pôr a mão na terra

Eu tô na guerra pela vida

Só pela vida, viva a vida, viva a vida