64.Super Collor-v3-cap.-09-m64

64. “Super Collor” (1990).

Autor: Juca Chaves. Intérprete: idem. Gravadora: Sdruws. CD: O melhor de Juca Chaves, o menestrel do Brasil – A sátira inteligente.

Super Collor colorindo

Jatinho particular

Foi com Johnny Walker sorrindo

Pro Vale do Luar

Tira o casaco de pele, Seychelles,

Caviar malossol, sol

Ópera em Roma, Turim futebol

Não é, belo ragazzo?

Vichy, Verdi, Cardin, é o tchan

Ninguém afinal é de aço

No Bolo de Noiva ainda há espaço

Também vou querer meu pedaço

Vai ao dentista, volta ao dentista

Corre na pista e sorri

De moto, a pé, até jet-ski

O sofisticado esportista

Tira o Piaget e faz karatê

Um golpe no bolso do povo

Velho calote, é o Brasil Novo

Um plano inteligente

As boas ideias são dele

Mas o dinheiro é da gente

Sonhos de heróis, de yuppie ou playboy

Enfrenta qualquer perigo

Até que Dona Leda se oponha

E o ponha de castigo

Com o F5 disse: eu também brinco

Passa a barreira do som

Som, linda imagem, não é mesmo bom

Se fotografa e a cor

Só um detalhe decepcionou

Falhou o botão do ejetor

Na casa da Dinda, tão linda, tão linda

Existem fantasmas, sim

Todos em branco, ocultos no banco

Muito além do jardim

Já se compara muito segredos

Collor com Tancredo Neves

Só que Tancredo morreu bem cedo

Foi de diverticulite

Já Collor de Melo, verde amarelo

Diverte-se no cu da elite