22.Canto para o Senegal-v3-cap.-09-m22

22. “Canto para o Senegal” (1987).

Autores: Ythamar Tropicália e Valmir Brito. Intérprete: Banda Reflexus. Gravadora: EMI-Odeon. LP: Reflexu’s da Mãe África.

Sene, sene, sene, sene, Senegal 


Sene, sene, sene, sene, Senegal 


Diz povão Senegal região 


Diz povão Senegal região 


Diz povão Senegal região 



Diz povão Senegal região

A grandeza do negro 


Se deu quando houve este grito infinito 


E o muçulmanismo que contagiava como religião 


Ilê Aiyê traz imensas verdades ao povo fulani

Senegal faz fronteira com Mauritânia e Mali 


Os serer ê ê ê, a tribo primeira que simbolizava 


Salum, Gâmbia, Casamance, seus rios a desembocar 


Mandingo, toucouleur, wolof são os povos negros 



E uma das capitais mais lindas, hoje se chama Dakar, ilê 


Ilê, Dakar, Obatalá, agô, iê ê ê ê

Esses são os meus sentimentos do antepassado 


Senegal narrado como tema Ilê Aiyê 



Sene, sene, sene, sene, Senegal (2 x) 


Diz povão, Senegal região (4 x)


Ê ahê, ahê 
á, ia, iê 
(2 x)

Baol, reino de lá, Hamba Kalhe, povo de Dakar 


Negros Ilê Aiyê avançam pelas ruas centrais da cidade 


Senegalesas mulheres vaidosas mostrando intensidade 



Incorporadas num só movimento frenético do carnaval 


Kaolak, Rufisque, Zinguichor são as cidades do Senegal 


Ilê Aiyê ê ê está nos torsos, nas indumentárias africanas 


Linguisticamente o francês na dialética união baiana 



Baobá, árvore-símbolo da nação 


Dos deniakes, dos berberes, dinastia da região, ilê... 


Ilê ê ê ê, Dakar á á á, Obatalá, ago iê, ê ê ê... 


Esses são os meus sentimentos do antepassado