23.Cordel Santo Dias-v2-cap-08-m23

23. “Cordel Santo Dias” (1979)

Autor: não identificado. Intérpretes: não identificados. Gravação especial do Comitê Santo Dias. LP: Santo Dias (1982).

Minha gente, eu vou falar

Do caboclo Santo Dias

Que veio aqui pra cidade

Sem emprego e moradia

Pra enfrentar os patrões (bis)

Na luta do dia a dia

Foi morar na Zona Sul

Um emprego ele arrumou

Metal Leve é a indústria

Que primeiro trabalhou

E na luta sindical (bis)

Logo ele se engajou

Foi assim que ele aprendeu

Com a vida, com o chão

O caboclo não perdeu

A semente da razão

Que o homem é muito mais (bis)

Que a sua profissão

Na luta foi avançando

E com muita teimosia

Pois sabia que o operário

Crescia no dia a dia

Lutando muito e melhor (bis)

Com garra, com valentia

No bairro também lutou

Porque via precisão

Organizando os moradores

Contra toda opressão

Em que vive os bairros pobres (bis)

Por falta de atenção

Com o avanço dessa luta

Luta do trabalhador

Muita greve nesse tempo

O operário deflagrou

Por causa das injustiças (bis)

Desse regime opressor

Com toda a organização

O regime se ocupou

Na greve de 1979

A polícia não brincou

Foi na porta da Silvânia (bis)

Que a polícia o matou

Mas o Santo ainda vive

Para todo lutador

Vive em cada coração

De todo trabalhador

Pois quem morre pela vida (bis)

Será um libertador