29.Sem terra-v3-cap.-09-m29

29. “Sem terra” (1986).

Autor: Raul Ellwanger. Intérprete: Idem. Gravação especial. LP: 6a Seara da Canção Gaúcha.

Quem viu os colonos sem terra

Semeando no asfalto da serra

Colheitas de soledade

Sem terra, sem terra, sem terra

Amassando o pão da esperança

No arame da imensidão

Arado, perigo, parado

Sem trigo, sem trigo e sem chão

Sem terra, sem terra, sem terra

Louvado será Jesus Cristo

E paz entre os homens na terra

Louvado colono corisco

Que há de abrir toda cancela

Na invernada do infinito

Da plantação aquarela

Do colono aqui faminto

Do sal, do sal, do sal da terra

Sem terra, sem terra, sem terra

No meio de tanta terra

Que nunca se sabe o dono

De tanta terra sem colono

Sem terra, sem terra, sem terra ...

Mãe, cozinheira, colona

Curtida no barro da espera

Quem viu tua cidade de lona

Sem erva, sem erva, sem erva

E a gurizada guaipeca

Semente da terra natal

Que nunca pivete em favela

Pivete em favela na capital

Sem terra, sem terra, sem terra

Meu coração violeiro

Do chimarrão já não sabe

Cantigas do velho Guaíba

Não sabe, não sabe, não sabe

Se é chamamé, o que é, o que é

Se é um bugio, que-os-pariu, o que é

Milonga, milonga, milonga não é

Sem-terra, sem-terra é o que é

Sem terra, sem terra, sem terra ...