46.A canoa virou-v1-cap02-m46

46. A canoa virou (1931), marcha. Autor: Nelson Ferreira • Intérprete: Augusto Calheiros • Gravadora: Parlophon


A canoa virou, pois é.

Seu Estácio fugiu, pois é.

O beiçudo Beiçola, pois é.

Nunca mais ninguém viu, pois é.

Da forma que a coisa virou

É fato que jamais se viu

Quem estava de cima foi d’água abaixo

Quem estava embaixo subiu

A canoa virou, pois é.

Seu Estácio fugiu, pois é.

O beiçudo Beiçola, pois é.

Nunca mais ninguém viu, pois é.

Havia muita gente gorda,

Contente, que de tudo ria.

Mas vem de repente a bruta virada

E lá foi-se a zombaria

A canoa virou, pois é.

Seu Estácio fugiu, pois é.

O beiçudo Beiçola, pois é.

Nunca mais ninguém viu, pois é.

Quiseram até fazer museu

Sem ter licença do seu Mário

Voaram em cima de um raro espelho

E quase vai-se o armário.