48.Apenas um rapaz latino-americano-v2-anexo-07-m48

48. “Apenas um rapaz latino-americano” (1976) Autor: Belchior. Intérprete: Idem. Gravadora: Philips. LP: Alucinação.


Eu sou apenas um rapaz Latino-americano Sem dinheiro no banco Sem parentes importantes E vindo do interior

Mas trago, de cabeça Uma canção do rádio Em que um antigo Compositor baiano Me dizia Tudo é divino Tudo é maravilhoso

Tenho ouvido muitos discos Conversado com pessoas Caminhado meu caminho Papo, som, dentro da noite E não tenho um amigo sequer Que ainda acredite nisso Não, tudo muda! E com toda razão

Eu sou apenas um rapaz Latino-americano Sem dinheiro no banco Sem parentes importantes E vindo do interior

Mas sei Que tudo é proibido Aliás, eu queria dizer Que tudo é permitido Até beijar você No escuro do cinema Quando ninguém nos vê

Não me peça que eu lhe faça Uma canção como se deve Correta, branca, suave Muito limpa, muito leve Sons, palavras, são navalhas E eu não posso cantar como convém Sem querer ferir ninguém

Mas não se preocupe, meu amigo Com os horrores que eu lhe digo Isso é somente uma canção A vida realmente é diferente Quer dizer Ao vivo é muito pior

E eu sou apenas um rapaz Latino-americano Sem dinheiro no banco Por favor Não saque a arma no saloon Eu sou apenas o cantor

Mas se depois de cantar Você ainda quiser me atirar Mate-me logo À tarde, às três Que à noite Tenho um compromisso E não posso faltar Por causa de vocês

Eu sou apenas um rapaz Latino-americano Sem dinheiro no banco Sem parentes importantes E vindo do interior Mas sei que nada é divino Nada, nada é maravilhoso Nada, nada é sagrado Nada, nada é misterioso, não...

Na na na na na na na na...