Post

05.Cantigas báquicas-vol.00-cap01-05

5. “Cantigas báquicas” (1826)

Letra: José Bonifácio de Andrada e Silva. Música (“Himno del Riego”): José Melchor Gomis. Intérprete: João Nabuco (piano e canto). Gravação independente.

Letra em ACB e no folheto “Cantigas bacchicas”, de José Bonifácio de Andrada e Silva (BN).


(coro)

A Baco brindemos,

Brindemos a amor;

Embora aos corcundas

Se dobre o furor.

(voz)

Em bródio festivo

Mil copos retinam,

Que a nós não nos minam

Remorsos cruéis.

Em júbilo vivo

Juremos constantes

De ser, como d'antes,

À pátria fiéis.

A Baco brindemos etc ...

Consócios amados,

Se a pátria afligida

Por nós clama e lida,

Pois longe nos vê;

Jamais humilhados

Ao vil despotismo,

No seio do abismo

Fiquemos em pé.

A Baco brindemos etc ...

Gritemos unidos

Em santa amizade:

“Salve, ó liberdade!

E viva o Brasil!”

Sim, cessem gemidos,

Que a pátria adorada

Veremos vingada

Do bando servil.

A Baco brindemos etc ...

A nau combatida

Da tormenta dura

Furores atura

Do rábido mar;

Já quase sumida,

Ressurge, e boiando,

Lá vai velejando,

Sem mais soçobrar!

A Baco brindemos etc ...

Bem prestes, amigos,

Vereis vossos lares;

Tão tristes azares

Jamais voltarão.

Os vis inimigos

Só colhem vergonha;

E negra peçonha

Destilam em vão.

A Baco brindemos etc ...

Se a pátria nos ama,

Amá-la sabemos;

Por ela estivemos

O sangue a verter.

Se a pátria nos chama,

Iremos contentes

Com peitos ardentes

Por ela morrer.

A Baco brindemos etc ...

Patrícios honrados

Aos ternos meus braços

Em mútuos abraços

A unir-vos correi.

C’os copos alçados

De novo juremos,

Que amigos seremos...

Já bebo, e bebei.

A Baco brindemos etc ...

A Vênus fagueira,

A Baco risonho,

Ninguém, por bisonho,

Se esqueça brindar:

Moafa ligeira

Tomemos agora;

Amigos, vão fora

Tristeza e pesar.

A Baco brindemos etc ...