Post

06.Lundu dos Lavernos-vol.00-cap02-06

6. “Lundu dos Lavernos” (1844)

Letra: Manuel de Araújo Porto-Alegre. Música: José Maurício Nunes Garcia (filho). Intérprete: Ana Maria Kieffer. Gravadora independente. CD do livro “Comédia musical urbana”.

Letra e partitura em “A Lanterna Mágica” (BN).

Este mundo, este mundo,

É um grão cabaço cortado,

Cortado, dá duas cuias

Numa bebem os Lavernos

Noutra bebem os tapuias

Se tu tens, ó minha vida,

Duas cumbucas de amor

Sou Laverno, sou Tapuia

Sou um grande bebedor

Este mundo é cosmorama

Com vistinhas de mil cores

Nos palácios estão Lavernos

Tapuias nos corredores.

Se tu tens, ó minha vida

Um cosmorama gostoso

Sou Laverno, sou Tapuia

Sou de tudo curioso

Este mundo é loteria

De pretas e brancas sortes,

Aos Tapuias cabem fracas

Aos Lavernos cabem fortes.

Se tu tens ó minha vida

Um bilhetinho d'amor

Quero ter a sorte grande

Eu já sou seu comprador.