06.Serpente negra-v3-anexo-09-m06

6.“Serpente negra” (1988).

Autores: Ythamar Tropicália, Valmir Brito e Roque Carvalho. Intérprete: Banda Reflexus. Gravadora: EMI-Odeon. LP: Serpente negra.

Ara, Ara, eu sou Ara Ketu


Ketu, Ketu, odé obá orixá

Kê, Kê, Kê, leva eu


Kê, Kê, Kê, Ara Ketu sou eu

Daomé, nação de uma serpente negra,


O rei manda lhe falar


O arco-íris ao se dissipar


Orixá maior é a força da natureza


Que representa Ketu nação


De um rei Olofim

Da atual República Benim

No reino de Daomé

Serpente Negra era um babalaô


O arco íris que vem lá do alto


Traz a força do Superior

Ora, ora, ora

Ora, orayê

Ora, ora, ora

Oxumaré, ora

Ara, Ara, eu sou Ara Ketu


Ketu, Ketu, odé obá orixá

Kê, Kê, Kê, leva eu


Kê, Kê, Kê , Ara Ketu sou eu

O quadro negro


Representa na face da Terra


Hoje não existem mais guerras

A escravidão acabou, ô ô

Ara Ketu, retrato da tal mocidade


Representando o passado


E tudo que aqui ficou


Derramando nossos prantos de felicidade


Por ser essa tal entidade


Nomeada a Odé caçador


Ara Ketu, força divina, força maior


Ô ô ô ô ô, ó ó ó ó ó

Pois o sangue desses negros


Derramado na Terra


Para que os senhores passassem


Um tipo de vida melhor

Ora, ora, ora

Ora, ora, yiê,

Ora, ora, ora

Eis Oxumaré