09.Às três da manhã-v1-cap05-m09

9. “Às três da manhã” (1946), samba.

Autor: Herivelto Martins. Intérprete: Araci de Almeida. Gravadora: Odeon.

Às três da manhã, ele guardou o apito

E foi se deitar.

Não bebeu, não sambou.

Não bebeu, mas brigou

Pra se desabafar

Do carnaval da vitória

Ele esperava uma coisa que o povo não fez

Ele apitou e animou, fez tanta miséria

Mas ninguém se guiou

Hoje existe um sambista magoado

Um apito guardado

E um coração ferido

Foi pracinha e voltou com glória

Queria tomar parte no carnaval da vitória

(Que rei sou eu? Que rei sou eu?).