08.Jaíba-v2-anexo-08-m08

8. “Jaíba” (1980).

Autores: Pedro Boi e Braúna. Intérprete: Grupo Agreste. Gravadora: Clack Bandeirantes Discos. LP: Grupo Agreste.

Quem matou mamãe, vovó

Quem matou mamãe, vovó

Foi a trança do cipó

Foi a trança do cipó

Quem matou papai, vovô

Quem matou papai, vovô

Foi um grande matador

Foi um grande matador

Oh! Deus, quanta gente boa

Meu Deus quanto homem bom

Já morreu de imboscada

Já tombou lá no sertão

Por mão de gente marvada

Em troca de umas patacas

Por ordem do capitão

Pois quem viu silenciou

O rádio nunca falou

Os jornais num publicou

Na TV não saiu não

Pois no fundo meu cumpadi

Ele é o dono da verdade

Quem manda é o capitão

Certa vez lá na Jaíba

Sucedeu uma patuscada

Homem rico tirou do pobre

Duas légua empareada

O rico muito sabido

Inventou uma trapaiada

Diz que a divisa da terra

Estava toda errada

Trouxe um homem da cidade

Contratou uma jagunçada

Pra garantir o serviço

E a terra ser remarcada

Choveu bala, correu sangue

Cachoeira, enxurrada

No final de algum tempo

A sorte tava selada

O rico ficou com tudo

E o pobre ficou sem nada

Pedra de bodoque matou passarinho

Foi tiro de espingarda que matou painho