Post

13.Lá no Largo da Sé-vol.00-cap01-13

13. “Lá no Largo da Sé” (1837)

Música de Candido Ignácio da Silva. Letra de Manuel de Araújo Porto-Alegre.

Intérprete: Tereza Pineschi. Gravadora: Por do Som. CD: “Teu gramophone é bão”.

Intérprete: Ana Maria Kieffer. Gravadora independente. CD: “Viagem pelo Brasil”.

Intérpretes: Marcelo Fagerlande (direção e cravo), Luciana Costa e Silva (meio-soprano), Marcelo Coutinho (barítono), Paulo da Mata (flauta), Marcus Ferrer (viola). Gravadora: Biscoito Fino. CD: “Modinhas Cariocas”.

Letra e partitura na Biblioteca Nacional e no IPB. Letra em ACB e Trovador.

Lá no largo da Sé Velha,

Stá vivo um longo tutu;

N'uma gaiola de ferro

Chamado surucucu.

Cobra feroz


Que tudo ataca;

Té d'algibeira

Tira a pataca.

Bravo à especulação

São progressos da nação.

Elefantes beberrões

Cavalos em rodopios,

Num curro perto d’Ajuda

Com macacos e bugios.

Tudo se vê,

Misericórdia!

Só por dinheiro

Há tal mixórdia.

Bravo à especulação ...

Garatujas mal cortadas,

Cosmoramas triplicados,

Fazem vermos toda a Europa

Por vidrinhos mal pintados.

Roma, Veneza,

Londres, Paris,

Tudo se chega

Cá ao nariz.

Bravo à especulação ...

Os estrangeiros dão bailes

Pra regalar o Brasil;


Mas a rua do Ouvidor


É de dinheiro um funil.

Lindas modinhas,

Vindas de França

Nossos vinténs

Levam na dança.

Bravo à especulação ...

Água em pedra vem do Norte

Pra sorvetes fabricar;


De que nos servem os cobrinhos

Sem a gente refrescar?

A pitanguinha,

Caju, cajá,


Na goela fazem

Taratatá!

Bravo à especulação ...