26.Jacaré-v3-anexo-10-m26

26. “Jacaré” (1998).

Autores: Seu Jorge e Sergio Granha. Intérprete: Farofa Carioca. Gravadora: Polygram. CD: Moro no Brasil.

- Que merda, todo dia a mesma coisa. E assim a gente vai. Sai do serviço cansada, acorda as quatro hora da manhã pra trabalhar, não tem hora pra chegar em casa. É mal administrado mesmo.

Presta atenção, povo brasileiro, Não é mais possível aturar esse comportamento de desunião Meu pensamento se confunde de janeiro a janeiro Eu não consigo nem ser dono da minha razão Só tem vacilo no beco escuro, eu te confesso Eu não dou mole, mas tá jogo duro de se esquivar Principalmente se a parada vem de cima desse cara que só sabe mandar Ele não está nem aí se você tá com fome, se você tá com sede Tira onda com o seu dinheiro de contribuinte o ano inteiro Deitado numa bela de uma rede, na sua casa de praia, Matando jacaré no Pantanal, olha aí, oh mané, A sua sorte pode estar no final

Na sua casa de praia, matando jacaré no Pantanal. Olha aí, oh mané, a sua sorte pode estar no final

- Tá entendendo, qual é a situação? A situação é essa, tá tudo ruim, tudo caído, não tem saúde, não tem nada. Pô, o cara comendo o teu dinheiro. Toma uma atitude, alô povão, agora é sério. Presta atenção!

Presta atenção, povo brasileiro ...

- Aí mané, se liga! Tá todo mundo de olho em você, tô na sua captura, presta atenção, o povo não é pequeno, não, meu irmão. Pra falar sério, foi legal ...