26.Bem-vindo ao Brasil-v3-cap-10-m26

26. “Bem-vindo ao Brasil” (1996).

Autor: Turbo, Jair dos Santos e Esay Jay. Intérpretes: Comando DMC. Gravadora: TNT Records. LP: São Paulo está se armando.

Ei, gringo

Seja bem-vindo ao nosso país

Mas é melhor ter sangue frio

Porque só assim

Vai aguentar ver de perto

O que vou lhe mostrar

Vai saber sobre a nossa verdadeira história

Que não consta nas fotos dos cartões postais

Muito menos nas agências de turismo

Segurança falida, polícia assassina

Campeão da matança, o país da chacina

Prepare o coração, vem comigo

A uma triste viagem iremos dar início

Para começar vamos passar em alguns distritos

Chega mais, registre tudo, veja só isso

Quanta sujeira na cela e superlotação

A qualquer hora pode haver uma rebelião

Olha lá, aquele é o Carandiru

A Casa de Detenção, não gosto nem de lembrar

Um verdadeiro genocídio aconteceu por lá

Vários presos foram mortos pela polícia

Pura covardia, tamanha injustiça

Soldados do demônio é o que eles são

Outra vez a imprensa omitiu a verdade

Para manter aos estrangeiros a nossa falsa imagem

111 o caralho, morreram quase 500

Não foi só um cela, e sim o pavilhão inteiro

Pegue a câmera, vamos dar outro rolé

Nos barracos das favelas, nas periferias

Veja de perto o sofrimento de tantas famílias

Sem água, sem luz, dinheiro nem comida

Se perguntando pra que rir do quê

Vale essa vida entre viver ou morrer

Que diferença faria? Nenhuma, pode crer

A essa conclusão muitos chegaram, você vai ver

Que absurdo, já não contam mais com melhorias

Se mantem como podem vivendo por teimosia

Estamos do lado esquerdo da Radial

A maior e mais rica Pentecostal

Maior da América Latina, não só do Brasil

Tem ouro, prata, luxo, ostentação

De frente a ela uma favela em baixo do viaduto

Com barracos mal feitos a ponto de desabar

Crianças comendo lixo, sofrendo como os adultos

Fiéis da igreja nem olham para quem está por lá

Mais adiante em volta da catedral

Moleques cheirando cola

Mendigos deitados ao chão

Rindo da própria miséria, embriagados

Aqui é a Praça da Sé, o coração de São Paulo

Preste atenção, fique calmo, esteja a vontade

Nossa viagem é longa e nem chegou na metade

Este aqui, sim, é o verdadeiro Brasil

Ei, gringo, seja bem-vindo

Chega mais, veja só isso

Vamos pegar a estrada em direção ao Rio

Esburacada, escura, onde morreu tanta gente

Pilotos imprudentes, terríveis acidentes

Se Deus quiser chegaremos a salvo, o trânsito está calmo

Mas não vamos ao Cristo

Nem ao Pão de Açúcar, nem pro Maracanã

Vamos direto pro morro

Pra Rocinha, Tijuca, Morro do Juramento

Temos que ter cuidado, esteja preparado

Aqui garotos manejam um arsenal pesado

Escopeta, fuzis, metrancas importadas

Tiroteio no escadão, veja só que cena

São traficantes em guerra por mais um ponto de venda

Não tem boi pra polícia, o crime é linha de frente

Pois o comando fuzila qualquer oponente

Quem puder mais vive mais

Cagueta capota, o bicho pega e desossa

No shopping center da droga

E você acha que aqui não existe guerra

Mas o arrastão na praia, então o que é?

Agindo direitinho como o sistema quer

Que a nossa gente inteira se mate entre si

E fica nos assistindo pra depois aplaudir

Aquela igreja tão formosa é a Candelária

Onde lá fora crianças fizeram a sua morada

1993: sete crianças foram mortas, pobres coitadas

Talvez achavam que ali não haveria perigo

Por ser uma igreja estavam protegidos

Mas naquela noite ali virou um inferno

E o demônio estava lá atirando e matando

Em Vigário Geral não dá pra me esquecer

Tantos cadáveres expostos para o mundo ver

Que no Brasil a nossa lei é incompetente

Os assassinos à solta caminham livremente

Nossos índios são mortos na Amazônia

Bem-vindo ao Brasil, a verdadeira zona

Este aqui, sim, é o verdadeiro Brasil ...

Vamos sair daqui, vamos pro Norte e Nordeste

Onde o país esqueceu em busca do progresso

Há muito tempo não chove aqui, veja só

O clima seco impede a terra de progredir

Animais, pessoas, rios e vegetais

Todos foram castigados pela mãe natureza

A paisagem por aqui é de traumatizar

Pessoas vão para a cidade grande fugindo da pobreza

As vezes me pergunto: porque tanto sofrimento

Será que Deus nosso pai também é brasileiro

Não posso esquecer de te levar à Goiás

Onde Zumbi fundou Quilombo dos Palmares

E na Bahia o dia a dia não é só alegria

O povo festivo também não vive contente

Constantemente pedindo a seus orixás

Que lhes dê força e coragem para que possam lutar

Brasília, a capital do nosso país

E o Palácio do Planalto é logo ali

Os três poderes que roubam uma nação inteira

Vários bandidos elegantes esnobando riqueza

E na Ceilândia o povo até passa fome

Praticamente vizinhos dos nossos governantes

Aquelas letras na bandeira dizem: ‘Ordem e Progresso’

Ordem não existe aqui, se existe eu não vejo

Eu sei que você veio aqui só pra conhecer

O Brasil que muitos brasileiros morrem sem ver

Não vai encontrar a beleza que veio procurar

Porque eu não a conheço, não posso lhe mostrar

Você tem muito dinheiro então pode seguir

Nossa viagem agora termina por aqui

Nossos índios são mortos na Amazônia

Bem-vindo ao Brasil, a verdadeira zona

Este aqui sim é o verdadeiro Brasil ...