35.Julgamento-v3-anexo-10-m35

35. Julgamento (2001)

Autores: Face da Morte. Intérprete: idem. Gravadora: Gringos Records.CD: Manifesto Popular Brasileiro.

Ra-ta-ta-tá pra cá e pra lá

Tô de volta no ar, já detonei a Bomba H

E tô de novo em ação sob o efeito contínuo da radiação

Mais arrasador que qualquer furacão

Estraçalho a muralha da desinformação

Fuzileiro da rima, jogando pra cima

Rajada de rima que abala o sistema

Que rompe as algemas da ignorância

Que exige a mudança, que faz a cobrança da indenização

Pela exploração durante quinhentos anos

Mas já bolamos nosso plano e eu não tô sozinho não

Se liga sangue bom por que a rima segue

Então vai Mano Ed, vai Mano Ed, vai

Pode crer Aliado G conferindo o meu proceder

Faço parte desse quadro pintado

Nesse pano azul e branco com verde e amarelo

Sou guerreiro em favor da foice e o martelo

Os ladrões no paralelo, cada pobre é um elo

Na corrente dessa gente da gente

Agora o povo tá unido, o sistema tá abalado

A fita dominada, começou a revolução do proletariado

Até os militares cansaram de serem explorados

Jogaram fora as fardas, passaram pro nosso lado

Coisa igual nunca se viu, o barato explodiu

O povo revoltado invadiu o Senado

A Câmara dos Deputados, o palácio do governo

Não tem mais jeito não, não tem mais freio então

O povo pobre não tem nada a perder a não ser suas cadeias

O imperialismo mandou a teia e acabou preso por ela

Não acreditou na reação do povo da favela

Censurou o rap, desprezou o MST, agora vai se fuder

As notícias na TV dizem que o clima vai ferver

A essa altura o plantão já havia anunciado

Que foram sequestrados o chefe do estado

E o famigerado presidente do senado

E o povo nas ruas continua organizado

Para acabar com a desordem

Gritando em coro as palavras de ordem.

(4x) Vai ser julgado, vai ser julgado vai

Vai ser julgado, vai ser julgado vai.

Agora vão ser julgados todos os atos

O júri popular vai ser nomeado

Sem dinheiro, sem horário gratuito

Bem diferente ao seu esquema bandido

Saiu da barra e da fisiologia

Thaíde, Racionais e GOG de Brasília;

Comando Johnny Mc que também é daqui

Sim Tio BV sangue bom do Piauí

Tem o Casca lá em Santa Catarina

Nunca cantou, mas sempre apoiou a rima

Aqui do nosso lado Facção Central que até já foi censurado

O rap é sério

Por isso também foram eleitos meus manos do Império

Ainda falando daqui o SNJ que diz

Que pra ganhar dinheiro só lá em Hollywood

Em Cuiabá também tem gente eleita lá

Grupo C4 que também tem o dom

Clã Nordestino representa o Maranhão

Zezé sangue bom que não dá moleza

Representando o Ceará precisamente Fortaleza

É pro nosso júri não ficar caduco

Faces do Subúrbio representam o Pernambuco

É pra não deixar nenhuma cadeira vazia

Vem o Mestre Jorjão da capoeira da Bahia

E acredite tem gente de Sergipe

Então, do Tocantins, de Manaus e Alagoas

Pode crer por lá só tem gente boa

Posso esquecer, mas o povo não esquece

Também tem o Da Guedes que representa Porto Alegre

Curitiba veio Davi Black

Pra não dizer que este júri é machista

Visão de Rua e Quatro Bases de Campinas

O nosso júri representa o idoso e o moleque

E não ficou de fora a banca DRR

Da seca, do choro, dos prantos

Veio o representante do Espírito Santo

Do Amapá também tem gente de lá

MV Bill representando o Rio

Minas Gerais quem te conhece não esquece

Vem meu truta o Dani representando UJS

Das quebras, dos becos, vielas, então

Tem os malucos da Rádio Favela, pode crer

Do Pará, do Brasil Inteiro, então

Representantes fiéis do povo brasileiro

Face da Morte foi eleito advogado de acusação

Então se liga sangue bom

Pois o povo na rua continua organizado

Para acabar com a desordem

Gritando em coro as palavras de ordem

Vai ser julgado, vai ser julgado vai

Vai ser julgado, vai ser julgado vai (4x)

Invadiram os principais canais

Botaram telões em todas as capitais

Nas cidades principais do interior

A transmissão ao vivo

O congresso e o senado estão ambos cercados

Os maus senadores e maus deputados

Lá dentro trancados

Esperando a vez pra também serem julgados

Agora o colarinho branco tá com o (...) na mão