Post

43.A honestidade-v3-anexo-09-m43

43. “A honestidade” (1991).

Autor: Juca Chaves. Intérprete: Idem. Gravadora: Sdruws. CD triplo: O melhor de Juca Chaves, o Menestrel do Brasil – A sátira inteligente.

A honestidade há muito já sumiu

E as consequências vêm sempre depois

Por isso todo dia pra alegria do Brasil

Morre um ladrão e nascem dois

Morre um ladrão e nascem dois

Sai um ministro, entra outro que promete

E o aposentado, coitado, se comove

À espera do 147 se decrete

Mas na horta do pobre nunca chove

Collor deu um bom 69

Enquanto os empresários, operários da cobiça

Investem lá no Norte, no Norte da Suíça

Democracia é isso, é trabalhar contente

Pro caviar do nosso presidente

E pro meu, afinal também sou gente

Enquanto o pacto não fica social

E a moral valendo mais do que dinheiro

Importa se o cunhado é alagoano, não faz mal

Ou se o meu carro a álcool é brasileiro

Ou se o meu carro a álcool é brasileiro

Nossos valores estão na contramão

Sequestrador vive melhor que marajá

E sem licitação, só para ajudar cunhado ou irmão

Vou ser um diretor da LBA

(Se a imprensa descobrir, eu vou pra Canapi chorar)