47.O culpado-v3-anexo-09-m47

47. O culpado (1992).

Autores: Valdir Teles e Severino Feitosa. Intérpretes: idem. Gravadora: MD Music: LP: Viva o repente.

Uma parte é submissa

A outra é a mandatária

Quem tentou reforma agrária

Foi vítima da injustiça

Uns têm conta na Suíça

Em Nova Iorque ou Paris

Nas escolas faltam giz

Merenda, roupa e calçado

Ninguém quer ser o culpado

Das misérias do país

Desde o tempo do Império

Que barão tem privilégio

Pra pobre falta o colégio

Pra rico tem magistério

Quem recebe um ministério

Mexe nos códigos civis

Descobre as fraudes, não diz

Prefere ficar calado

Ninguém quer ser o culpado

Das misérias do país

Nossa pátria hoje é carente

A decadência é visível

Ensino de baixo nível

Chefe subserviente

A saúde está doente

Sem médico, sem bisturis

Se instauram CPIs

Mas não surtem resultado

Ninguém quer ser o culpado

Das misérias do país

Além da pátria falida

O eleitor foi traído

Ao invés de um povo unido

Resta a nação dividida

Poucos tem direito à vida

Da Bahia a São Luís

Quem é político é feliz

O pobre é discriminado

Ninguém quer ser o culpado

Das misérias do país

Não há quem diga até quando

Se somam tantos deslizes

Os que viviam felizes

Muito caro estão pagando

A crise vem massacrando

Militares e civis

Uma conta que eu não fiz

Pago mas sou revoltado

Ninguém quer ser o culpado

Das misérias do país

Dos países devedores

O Brasil está no meio

A dívida externa sem freio

Juro de altos valores

Reunião dos credores

Cobrando a dívida infeliz

Que essa dívida é a raiz

Do mal que aqui foi gerado

Ninguém quer ser o culpado

Das misérias do país

Cresce mais a violência

Que a tanta gente incomoda

O sequestro virou moda

Na rua e na residência

Empresas vão à falência

Com tantos juros hostis

Não há quem conte os guris

Que a fome já tem matado

Ninguém quer ser o culpado

Das misérias do país

Nesse país brasileiro

Tem medidas provisórias

Liminares, moratórias

Passeios para o estrangeiro

Até padre, por dinheiro

Foi morto em Imperatriz

E, até aqui, ninguém quis

Assumir que está errado

Ninguém quer ser o culpado

Das misérias do país