55.Mancada 2000-v3-cap-10-m55

55. “Mancada 2000” (1999).

Autor: Face da Morte. Intérprete: Idem. Gravadora: Independente. CD: O crime do raciocínio.

O rap aqui é baseado na base de ideias pesadas

Mancadas registradas são transformadas em pancadas sonoras

Pois o que temos pra falar a gente fala na tora

Tô pronto pra disparar, a mente está engatilhada

Vamos ver o que é que dá, pois a polícia civil é paga para proteger o povo

Em 24 horas diárias no plantão da corrupção

Então, o ciclo vicioso nunca vai se quebrar

Polícia prende o ladrão, telefonema é dado, advogado é chamado

Aliás, nem poderia ser chamado de advogado

Mais parece um vampiro porta de cadeia

Vergonha da profissão

Seu pagamento é toca-fitas, droga, tela, vídeo

Eles completam o ciclo

O acerto com a polícia já foi combinado

O mano foi liberado, o artigo era pesado

157 na lei um crime inafiançável

Mas não é nada que 10 mil reais não possam resolver

Talvez explique a origem daqueles carros zero sem placa

Que os investigadores desfilam na quebrada

Mas tudo bem, tá valendo, o mano tá na rua, tá na correria

Precisa levantar o dinheiro, está chegando o dia

O mano volta a exercer a sua profissão

Meter o cano é a saída, é a solução

O pagamento da polícia é sagrado

Eu observo esse ciclo e chego a uma conclusão

Que a polícia é o patrão que existe pra garantir o emprego do ladrão

Se liga mano, muda de trampo

Principalmente você que está desempregado

Não venha pra esse lado, não venha ser escravo

Desse ciclo vicioso e odioso

Eu sei que é foda

Eu peço a Deus que ilumine o seu caminho

Te ajude a educar aquele seu pivetinho

Longe do crime, longe das drogas

Ensine ao seu filho que ele tem valor

Independente de raça ou cor

Não espere por ninguém a mudança começa a partir de você

Quem planta amor só colhe amor

Quem planta ódio só colhe ódio

Cultive a paz no campo da vida e com certeza

Maluco, vamos encontrar uma saída

Aqui em Hortolândia fonte de renda é escassa

Escassa como a água que falta todo dia

Mas a piscina do Padovani não, ela nunca está vazia

Crianças passando sede, ele descansa na rede

Depois de um belo mergulho

E ainda diz que as crianças são a esperança e o futuro

Escolas por aqui eu não vejo construir

25% do orçamento

Na teoria é destinado para a educação

Mas no fim desaparecem entre as nuvens da corrupção

É domingão e aquele mano vai lá

Adquirir seu exemplar do Correio Popular

Precisa ler os classificados, faz um tempo que tá parado

Precisando trampar, com três pivetes pra criar

Não consegue se encaixar abre o jornal pra ler

Não há vaga, o que fazer?

O aluguel tá pra vencer, foi despejado, não pode ser

O direito de morar é sagrado

Cadê as casas populares prometidas na campanha?

Ir pra favela foi a solução

Não que morar em barracos seja vergonha não

Vergonhosa mesmo é a pirâmide social

10% com a riqueza, 40% na pobreza, 50% na miséria

A elite critica o rap nacional, música de marginal

Que excita a violência, mas essa ideia é errada

Com o rap ou sem o rap vai existir violência

Enquanto não houver decência na política

Talvez um pouco de autocrítica ajudasse

O nível de corrupção é extremamente elevado

A começar pelos vereadores

Trampam uma hora por semana e ganham mais de 3 mil, direito a 3 assessores

Numa cidade como Hortolândia é uma vergonha

Agora eleva esta merda a nível estadual

Se for pensar a nível federal é uma loucura

E toda essa violência é aceita com veemência

E ainda são chamados por pronomes exagerados

Como nobre e excelência

Fica perdida a pergunta: quem gera a violência?

A sociedade tem a imagem distorcida da verdade

Valores discutíveis

Vivemos num capitalismo totalmente selvagem

Se mede o homem pelo bolso

E não pela sinceridade e caráter

E não é só nos grandes centros, veja o caso do MST

Na luta pela terra quantos ainda vão morrer, eu não sei

Deus fez o homem e deu a honra pra ele

Mas o demônio fez o dinheiro

E a cobiça pra foder com ele

Casamentos são desfeitos por falta de grana

Se o mano está de gravata, ele é respeitado

Se usa uma calça larga, ele vai ser zoado

Se trombar com a polícia, com certeza é enquadrado

Quem curte o nosso movimento é sempre discriminado

Taxado como marginal padrão

Eu pergunto por que a polícia não embaça

Com os caras que usam terno e gravata e roubam toda nação

Infelizmente esse é o nosso país o tetra campeão

A alegria da elite é ver o pobre matando pobre

Se drogando enchendo a cara e agindo dessa forma

Fica fácil pra eles manipularem nossa classe

Se utilizam da mídia pra foder com você

É hora de rezar trabalhar estudar pra melhorar

A informação é a chave de tudo, passem isso aos irmãos

Vamos pensar no futuro

Vamos reforçar o verde da nossa esperança

Construir um Brasil cada vez mais belo

Cada vez mais branco, azul e amarelo