93.O povo da periferia-v3-cap-10-m93

93. “O povo da periferia” (2002).

Autor: Ndee Naldinho. Intérprete: Idem. Gravadora: Fantasy Music. CD: O povo da periferia.

- O povo da periferia há muito tempo tá abandonado, né, irmão. Enquanto o povo da classe alta tá enchendo o rabo de dinheiro, o povo daqui tá no veneno, sem emprego, na fome. A única saída que os irmão encontra aqui na periferia é o mundo do crime. Os irmão sabe que o crime não compensa, mas é obrigado a viver no crime porque não tem outra saída, né, mano. Então que Deus proteja os irmão que agora tão na correria, que Deus proteja o povo da periferia.

Deus, olhai meu povo da periferia

Deus, olhai meu povo da periferia

É tanta gente triste nessa cidade

É tanta desigualdade desse outro lado da cidade

Mas eu tenho fé, eu tenho fé e eu acredito em Deus

Olhai por esses filhos teus

Senhor, ó Pai Senhor, olhai o meu povo sofrido da periferia

Periferia

Ham! Olhando pro meu povo vejo a tristeza

Estampada em cada rosto que perdeu a beleza

A vida é embaçada pra quem tá no veneno

Uma mãe vendo os seus filhos com fome, sofrendo

Os mais ricos do mundo só fazem investimentos

Em diversão pra boyzinho, pra coisa ruim e armamento

Quanto ao meu povo investimento é zero

O dia a dia não é fácil, o dia a dia não é belo

Vários moleque na rua sem endereço, drogado

Mendigo, gente sofredora, também largado

Se arrastando e com vontade de viver

Muita gente dá de frente, finge que não vê

De que adianta vida boa e ter tudo da hora

Se o povo tá no veneno, ham, meu Deus e agora?

Eu peço ao Senhor que dê paz e alegria

Cuida de nós, o povo da periferia

Deus, olhai meu povo da periferia ...

Ham! O povo é mal cuidado, ignorado, esquecido

Os ricos querem mais é ver meu povo fudido

Exploram nossa vida, roubam nosso dinheiro

Eu vejo o povo no veneno, entrando em desespero

Irmão na ira, sem paz espiritual, se armando

Roubando, se arriscando, porque tá precisando

Apanhando na vida, passando fome, que injustiça

E quando roda, toma couro todo dia da polícia

Que a cada dia o crime vai crescendo

Essa vida deixa o povo revoltado e violento

A pobreza, a miséria todo dia cresce

Que porra é essa, meu povo não merece

Um dia quem só fode a gente vai se foder

Eles obrigam o meu povo a não ter paz pra viver

Que Deus proteja os irmão que agora tão na correria

Que Deus proteja o povo da periferia

Deus, olhai meu povo da periferia ...

Ó Pai Senhor, olhai meu povo sofrido da periferia

Periferia